Liberato Produções Culturais
domingo, 16 dezembro 2018
Ritos de Passagem

Blog Liberato

Estrutura e Gênero Dramático (1)

por candidaluzliberato@gmail.com em 22/01/10 às 04:23

"Ritos de Passagem" se reporta a acontecimentos trágicos que constituíram a esperança de grande parte da população do sertão do Nordeste brasileiro no final do sec. XIX e início do sec. XX , tendo na condução da trama o suspense do julgamento das duas almas em questão, conforme seus merecimentos. Como referências dramáticas temos o teatro vicentino que tão bem expressa a cultura medieval dos valores sertanejos e a mitologia de todas as épocas que cria um universo simbólico presente em todos os momentos da vida vivida no árido do sertão, propiciando a extrema riqueza que povoa o imaginário da população até os nossos dias.  Assim Gil Vicente, João Cabral de Melo Neto, Ariano Suassuna, Lírio Ferreira, Geraldo Sarno, Glauber Rocha, Elomar Figueira de Mello, Luiz Gonzaga, J. Borges, Limeira, com suas obras entre elas "Vida e Morte Severina", "Baile Perfumado", "Pedra do Reino", "Deus e o Diabo na Terra do Sol" e tantos destaques destes e outros  autores inspiram este projeto, assim como toda a literatura de cordel que serve de substância popular dos acontecimentos aqui narrados. Como estrutura básica apresentamos 5 atos na seguinte sequência:

Comentários

Regina 18/03/10 04:03
Me chamou atenção a expressão "acontecimentos trágicos que constituíram a esperança", como se houvesse uma contradição no que quer dizer. Pensando bem a gente vê que a cada vez que os acontecimentos apontaram para outro rumo que não o fatalismo crônico da gente nordestina, foi porque uma grande esperança foi esmagada e renasceu no coração do povo a possibilidade de um dia acontecer o milagre da redenção. E tudo volta a pulsar novamente por décadas, séculos de esperança.

Deixe seu comentário

DESENVOLVIDO POR BDGWEB © 2007. BDGBRASIL. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS bdgbrasil